Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2020

Carta01 as Educadoras do século XXI

  Carta 01 as Educadoras do século XXI.  As professoras no Brasil de 2020. As professoras do Brasil de 2010. As professoras do Brasil de 2000. Nós somos trabalhadoras da Educação + pesquisadoras. Nós somos trabalhadoras e pesquisadoras?  O que a Constituição 1988 assegura as trabalhadoras? O que a Lei de Diretrizes Bases 9394/96 aborda sobre a nossa profissão de docentes? Quem nós somos em 2020/ 2021 pandemico sem vacina no Brasil? Diante de tanto retrocesso no Brasil  de 2020 é incrivel pensarmos que daqui nasceram figuras maravilhosas como Maria Carolina de Jesus, Paulo Freire, Abdias do Nascimento, Ivone Lara, Manoel de Barros...  A vergonha nacional sufocada tantos anos diante dos séculos de escravidão e de politicas que favoreciam aos senhores da casa grande e senzala - aos latifundiarios no campo e na política- agora jorra no cotidiano do brasileiro e nos jornais internacionais comprometidos com a democracia, independente da posição politica. Evocamos como um mantra tibetano a

#2020Distópica: Retrospectiva do passado + Sonhos possíveis de #2021

   Retrospectiva coletiva e auto avaliação crítica necessária          A pandemia nos proporcionou momentos inesquecíveis e tenebrosos em 2020, e como desdobramento em meses nos reinventamos. Cada ser humano reinventou-se .  E não adianta negarmos as dificuldades. Aceitar os desafios, assumir os riscos, atravessar todas as fases (letargia; negação; angústia; ansiedade; agitação; e por fim, aceitação) que nos tiraram da nossa zona de conforto antes do Covid-19, a.c19, nos tornaram mais conscientes da nossa função enquanto docentes, discentes e seres humanos. Independente da faixa etária de sermos migrantes, ou, nativos digitais, aprender a reinventar-se sem aviso prévio foi uma tarefa coletiva agridoce para todos nós, especialmente nós brasileiros. Retrospectiva histórica de 2020: relembramos das nossas aulas básicas da antiga 3ªsérie e atual 4ºano do ensino fundamental - sobre vírus e protocolos básicos de higiene. Também aprendemos a lidar com a dificuldade histórica do nosso pa

Defensoras de Direitos Humanos em 2020: Mulheres protagonistas!

No último dia dez de dezembro, 10/12, comemoramos internacionalmente o dia dos  Direitos Humanos . Diante da pandemia da covid-19 a garantia dos direitos fundamentais da população vulnerável tornou-se ainda mais urgente! A Organização das Nações Unidas, ONU nos lembra que há 72 anos atrás no dia 10 de dezembro de 1948 foi assinada a  Declaração Universal dos Direitos Humanos  pelos países signatários das Nações Unidas, comprometidos em evitar o segundo genocídio do Holocausto promovido pela segunda guerra. [...] Lembremos que em nossas favelas  infelizmente o genocídio do povo negro, ribeirinho e quilombola  é realizado cotidianamente e silenciado. No Brasil assistimos o aumento dos números de  feminicido e racismo  (social, estrutural e institucional). E nosso país apesar de todo retrocesso não está sozinho na luta pela garantia dos direitos humanos, países da América Latina e EUA lutam a partir dos movimentos sociais Vidas Negras Importam e Movimentos Feministas no Chile. 🔨🔨🔨🔨🔨

Autonomia Docente existiu em 2020?

Rio de Kaos Janeiro, 16 de Dezembro de 2020. Querida Frida Khalo, Diante do caos de uma pandemia no Brasil de 2020 professores superaram ilhas de dificuldades. Em particular tivemos mudança de gestão governamental no RJ, com direito a queda do secretário das lives.. Enfim, cá estamos nós docentes no ano real, com + de 180 mil mortos, sem política nacional de vacinação apropriada.  E diante de conselhos de classes, ou melhor, conselho dos jedais com necessidade de repensarmos a sua função!  O plano de educação do estado RJ 2021 nos foi apresentado recentemente...mas quem participou? Quem editou? Quem ouviu os trabalhadores da linha de frente da educação? Conforme a  LDB 9394 existe uma autonomia dos trabalhadores da educação...Cadê?  Sigamos procurando!  Saudações, Marie Venvanse. ☆☆☆ As Editor@xs.

Possíveis planejamentos e publicações acadêmicas em 2021 para os Docentes Pesquisadores da Educação Básica

 ⁜ Essa postagem é direcionada aos carxs colegas docentes da educação ⟰⟰⟰.     Vamos nos planejar apesar do caos pandemico da covid19? A importância do planejamento nos proporciona otimizar o tempo, revisão de contéudos, ideias e planos de vida. Acredito que qualidade de  vida na PANDEMIA, é oportuno + interessante + necessário.Além das agendas virtuais,   Vamos pensar fora da caixa?  Além do capital econômico, seja auto crítico consigo! Esse momento requer uma auto análise subjetiva e honesta: - Qual o capital social afetivo nós professores da rede pública no Brasil desejamos no cenário da pandemia e pós-covid19? É óbvio que uma renda universal e fixa é urgente para inciarmos o processo de construção de políticas públicas de Erradicação das desigualdades sociais em nosso país. Não somos nós apenas professores, mas toda a categoria de trabalhadores da educação expostos e vulnerabilizados na pandemia merecemos a valorização das respectivas funções a serviço à sociedade, através de recon

EDUCAR na MEMÓRIA para construir o FUTURO

EDUCAR na MEMÓRIA para construir o FUTURO No processo continuo de pesquisa de conteúdos para as salas de aula on line do Ensino Remoto da Secretaria de Educação do Estado do Rio de Janeiro,SEEDUC do RJ em parceria com o Museu Escolar Virtual do ciep 241 . Encontramos a partir dos critérios de buscas por experiências dos museus escolares na América Latina. A experiência da Argentina em Museus Pedagógicos no inicio do século XIX e XX. Em seguida, o catalogo da exposição virtual no site do Ministério de Educação, Ciência e Tecnologia em 2007, do governo argentino da exposição " Educar en la memoria para construir el futuro ".       Fonte: Disponível em http://www.bnm.me.gov.ar/giga1/documentos/EL005677.pdf A leitura do material educativo para ser baixado é em espanhol, porém a sua metodologia é didática. E podemos pensar como adapta-la ao atual contexto da pandemia da covid19. Em nome dos nossos mortos da covid19 como transformar esse luto de quase 200 mil familias brasileira