Pular para o conteúdo principal

Defensoras de Direitos Humanos em 2020: Mulheres protagonistas!

No último dia dez de dezembro, 10/12, comemoramos internacionalmente o dia dos Direitos Humanos. Diante da pandemia da covid-19 a garantia dos direitos fundamentais da população vulnerável tornou-se ainda mais urgente! A Organização das Nações Unidas, ONU nos lembra que há 72 anos atrás no dia 10 de dezembro de 1948 foi assinada a Declaração Universal dos Direitos Humanos pelos países signatários das Nações Unidas, comprometidos em evitar o segundo genocídio do Holocausto promovido pela segunda guerra. [...] Lembremos que em nossas favelas  infelizmente o genocídio do povo negro, ribeirinho e quilombola é realizado cotidianamente e silenciado. No Brasil assistimos o aumento dos números de feminicido e racismo (social, estrutural e institucional). E nosso país apesar de todo retrocesso não está sozinho na luta pela garantia dos direitos humanos, países da América Latina e EUA lutam a partir dos movimentos sociais Vidas Negras Importam e Movimentos Feministas no Chile.
🔨🔨🔨🔨🔨🔨🔨🔨🔨🔨🔨🔨🔨🔨🔨🔨🔨🔨🔨🔨🔨🔨🔨🔨🔨🔨 
Interessante que lutamos por direitos mínimos para a garantir o acesso a cidadania através dos serviços básicos: saúde, educação, segurança e cultura. 
Diante do KAOS particular que vivemos no Estado do RJ foi criado dentro da Comissão de Direitos Humanos na Assembleias Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, ALERJ, o whatasap da cidadania 21 99670-1400 em que a violação dos direitos humanos deve ser denunciada por esse canal. A atual coordenadora da Comissão dos Direitos Humanos na Alerj Monica Cunha nos descreve os desafios de defender os princípios básicos da cidadania. Segue no Link o pod-cast de entrevista a coordenadora.http://www.central3.com.br/lado-b-do-rio-154-direitos-humanos-por-monica-cunha/.  
E em nossas localidades, associações de moradores, escolas quem são as nossas defensoras dos direitos humanos
Relembrando aquela música de Geraldo Vandré, quem sabe faz agora não espera acontecer...
Somos sujeitos da nossa própria história e não necessitamos de salvadores. Que tal aproveitarmos o isolamento da pandemia da covid-19 e rearticular o grupo do grêmio da sua escola?  Vamos aproveitar e pensar nas atividades possíveis numa pandemia, reativar os grupos de cineclube e grupo de poesia slam em sua escola? E a associação de moradores do seu bairro? O que eles precisam de ajuda? O que você, aluno do Ensino Médio sabe fazer? Não! Não é utopia! É necessidade de reconstruirmos nossos sonhos em redes colaborativas!
 Bibliografias consultadas:

 As Editor@xs!  

Comentários

As postagens mais vistas! #laboratoriosensinohumanas.com

Utilização da Linha do Tempo nos Estudos Introdutorios de Historia

Sociologia + História: Lei de Proteção aos Dados e Cibersegurança

DIREITO A MEMÓRIA DAS NARRATIVAS REAIS E ESQUECIDAS

#2020Distópica: Retrospectiva do passado + Sonhos possíveis de #2021

Génocide au Brésil à travers de fausses nouvelles, de faux remèdes préventifs et examen national high school, ENEM

Oficina Trocando Cartas no Museu da Vida

Formação + Atualização do DOCENTE: Cursos de Extensão Cederj 2021.1

FILOSOFIA sofista nos afeta em 2020?